20 coisas que psicólogos gostariam de te contar



1-NÃO! Eu não estou julgando o seu problema :Por mais que você ache ele bobo, é bem provável que eu já tenha passado por algo parecido.

2-Não se preocupe em segurar a onda o tempo todo, isso não é sinal de equilíbrio: Expressar o que você está sentindo é importante e a gente é treinado para lidar com surtos de ansiedade ou crises de choro.

3-De algum modo, todas as mentes são meio problemáticas: Não precisa ter medo de confessar suas intimidades, por mais vergonhosas que elas sejam.

4-Tudo é material que revela como uma pessoa se organiza mentalmente, como pensa e sente: Chegar atrasado, atrasar pagamento, faltar a sessão, as coisas que escolhe falar e escolhe não falar, a hora que olha pra gente e a hora que desvia o olhar… Tudo tem uma motivação pra acontecer.

5-Muita gente conta a sua história e pergunta: “eu tô louco? Isso é depressão?” Diagnósticos podem ser úteis, mas é mais importante ouvir o que você está sentindo do que dar um nome para isso.

6-A fonte de quase todo sofrimento tem a ver em alguma medida com dificuldades em se comunicar: Boa parte do que uma terapia promove é ajudar a pessoa a lidar com o que existe dentro dela.

7-Nós não vamos dar palpites na sua vida. Você é quem toma as decisões: Nosso maior objetivo é aumentar sua capacidade de ter consciência a respeito do que sente e do que deseja para a sua vida.

8-Desculpe, a gente não tem a resposta para tudo: Nós podemos te ajudar a pensar em alternativas, mas o Conselho Federal de Psicologia ainda não regulamentou o uso de bola de cristal como tratamento terapêutico.

9-O silêncio é importante. Aceite-o: A gente também tem dificuldade de manter aqueles momentos de silêncio durante uma sessão. Mas fazemos um esforço para permitir que eles aconteçam.

10-É parte fundamental do processo trabalhar a relação com o terapeuta: Então fale quando a sessão te deixa com raiva, com medo, ou muito feliz.

11-Depois de um tempo, a gente acaba sentindo um tipo de carinho pelos nossos pacientes: É impossível conhecer alguém tão profundamente sem desenvolver um carinho muito grande por ele. Isso se chama contratransferência. Mas não, não seremos amigos.

12-A gente também é humano e tem momentos de tristeza: A gente mantém a cara de planta, não transfere nosso problema para o consultório, mas no fundo somos humanos igual a você e também temos nossos dias de querer ficar na cama sem fazer nada.

13-Quando a gente sabe que algum evento grande vai acontecer na sua vida, ficamos esperando a sessão seguinte como se fosse um episódio da nossa série favorita: Porque a gente torce por você!

14-Se o seu terapeuta falou alguma coisa sobre você sentir falta de Deus, sobre “curar homossexualidade” ou terapia de vidas passadas, CORRA. DENUNCIE: Ele não está utilizando técnicas científicas e pode ser cassado.

15-Não fique chateado se a gente não te aceitou nas redes sociais ou não respondeu ao seu “e você, como está?”  Somos psicólogos e não amigos. e para que você se sinta o mais confortável possível mantemos essa neutralidade em sua vida. 

16-É sempre muito estranho encontrar paciente fora do consultório: Uma relação terapêutica não é como uma relação social normal. As regras que valem numa terapia são BEM diferentes das relações sociais cotidianas.

17-Dá vontade de puxar a orelha quando você passa a sessão inteira enrolando e nos últimos minutos fala “ah, tem uma coisa…” e desata a falar: Não precisa esperar a hora “certa”.

18-A gente só quebra o sigilo das sessões em duas situações: Em estudos de caso entre terapeutas (sem identificar o paciente) ou quando você ou outra pessoa correm risco de vida.

19-A gente também faz nossa terapia para poder dar conta de toda a informação que vem na nossa direção: Além dos nossos próprios problemas pessoais.

20-A gente deseja e respeita o seu momento de deixar a terapia: Mas se quiser mandar um alô de vez em quando a gente fica contente.