Você se acha "cabeça aberta"?

O País vive um reboliço em sua economia e na política. No último domingo (16/08) milhares de pessoas foram às ruas pedir o impeachment da Presidente Dilma. Estas manifestações pareciam dividir o Brasil em dois polos: ou você apoiava um partido ou apoiava o outro. Mas será que estamos abertos a entender pontos de vistas diferentes do nosso? 



Será que quando você se depara com fatos que contradizem aquilo que você acredita você incorpora esses fatos novos e altera suas crenças? Você realmente acredita que consegue analisar os dados ou o que está acontecendo e decidir pelo melhor? 

Desculpa, mas pesquisadores no campo da Neuropsicologia descobriram que quando você depara com fatos que contradizem suas crenças, você os ignora e fortalece suas crenças. Ou seja, você não é tão crítico ou “mente aberta” quanto imagina.

Pesquisadores descobriram em nosso cérebro aquilo que eles chamam de Crenças Persistentes (Backfire Effect), que é um desdobramento da Tendência de Confirmação, só que atinge algo ainda mais profundo na psiquê humana, não é só uma questão de ignorar os fatos que se discorda, mas passar a defender ainda mais as crenças quando se é contrariado.

A pesquisa

Em 2006, Brendan Nyhan e Jason Reifler, da Universidade de Michigan e Georgia, criaram artigos de jornais falsos sobre questões políticas polarizadas. Os artigos foram escritos de uma forma que confirmaria um equívoco generalizado sobre certas ideias na política americana. Assim que uma pessoa lia um artigo falso, os pesquisadores entregavam um novo artigo que corrigia o primeiro.

Por exemplo, um artigo sugeria que os Estados Unidos encontraram armas de destruição em massa no Iraque. O próximo tinha uma errata que dizia que os EUA nunca tinha encontrado nada, o que era a verdade. Os que se opunham à guerra ou que tinham fortes inclinações liberais tendiam a discordar do primeiro texto e aceitar o segundo.

Aqueles que já apoiavam a guerra e se inclinavam mais para o campo conservador tendiam a concordar com o primeiro, o falso, e discordar do verdadeiro. Estas reações não deveriam surpreender, a grande surpresa é que ao ler o segundo artigo os conservadores relataram ter ainda mais certeza que o Iraque tinha sim armas de destruição em massa.

Eles repetiram o experimento com outras questões como pesquisas com células-tronco e reforma tributária, e mais uma vez, eles apresentavam as correções e notavam que se as pessoas concordassem com o artigo falso, elas se apegariam ainda mais a suas opiniões quando confrontadas com os artigos verdadeiros.

Ou seja, as erratas estavam indo no caminho contrário do que deveriam, em vez de corrigir elas fortaleciam a crença dos pesquisados.

Uma vez que uma ideia é adicionada à sua coleção de crenças você passa a protegê-la como se ela fosse parte de sua própria personalidade. Isso é completamente instintivo e inconsciente, assim como a defesa que é automaticamente armada contra qualquer fato que possa contradizer suas opiniões.

Assim como a Tendência de Confirmação protege sua crença quando você procura ativamente as informações, o backfire effect cria a defesa quando a informação contraditória é jogada na sua cara. Então se alguém tenta te convencer com fatos e argumentos de que a sua opinião está equivocada, "o tiro sai pela culatra" e você passa a fortalecer ainda mais a crença.

Com o tempo esse feito vai fazer com que você duvide menos de suas próprias conclusões, deixa de ouvir qualquer argumento contrário e inclusive passe a atacar os fatos contraditórios ativamente como se todos fossem mentiras ou uma grande conspiração. 

Contra fatos não há argumentos? Não, não somos tão racionais como imaginamos. E nem adianta tentar convencer aquele seu amigo que você está certo e ele está errado. Suas crenças são mais fortes do que você imagina. Mesmo quando os fatos sejam tão claros que até um cego conseguiria ver.

Debora Oliveira
Psicóloga Clínica
CRP: 06/123470