Um encontro com Lacan


Jacques-Marie Émile Lacan, 

Formado em Medicina,Lacan passou da neurologia à psiquiatria, tendo sido aluno de Gatian de Clérambault. Teve contato com a psicanálise através do surrealismo e a partir de 1951, afirmando que os pós-freudianos haviam se desviado, propõe um retorno a Freud. Para isso, utiliza-se da linguística de Saussure (e posteriormente de Jakobson e Benveniste) e da antropologia estrutural de Lévi-Strauss, tornando-se importante figura do Estruturalismo. Posteriormente encaminha-se para a Lógica e para a Topologia. Seu ensino é primordialmente oral, dando-se através de seminários e conferências. Em 1966 foi publicada uma coletânea de 34 artigos e conferências, os Écrits (Escritos). A partir de 1973 inicia-se a publicação de seus 26 seminários, sob o título Le Séminaire (O Seminário), sob a direção de seu genro, Jacques-Alain Miller.

Esse filme , mostra sua vida cotidiana através de relatos de seus pacientes, alunos, amigos próximos e família. Nascido na virada do século XX, no seio de uma família burguesa católica, Lacan tinha um conhecimento enciclopédico e treinado como psiquiatra. Ele era amigo de Picasso, Lévi-Strauss e Sartre. Mas, apesar de ser um brilhante psicanalista e marcante na teoria e na prática, seus próprios colegas o condenavam, como se ele fosse o demônio. O diretor Gérard Miller ainda estava no colégio quando conheceu Lacan pela primeira vez. Aos vinte anos, seu irmão mais velho, Jacques-Alain Miller, tornou-se um dos alunos mais leais de Lacan. Poucos anos depois, Jacques-Alain casou com sua filha, Judith. Depois de quarenta e cinco anos, Gerárd Miller ainda tem os mesmos sentimentos por Lacan: "Ele era um homem absolutamente incrível. Eu fiz esse filme para que o maior número de pessoas possa saber mais sobre ele". Hoje, Lacan é considerado o mais moderno, estimulante e até mesmo o mais controverso dos psicanalistas. Ao assistir ao documentário, os espectadores verão por eles mesmos que Lacan mereceu completamente a sua reputação.